O início do ano grita dias difíceis para ser vividos, no entanto resta a vontade de compactar o que julgou ser necessária e determinante na sua existência durante os antecedentes do antigo para o novo. É fundamental se perder, estar perdido significa ser conduzido para dentro de si. O novo ano inicia-se e um dos maiores pensadores pós-moderno faleceu, muitos olhares externos estiveram fechados diante de sua existência. O dia que se vive nem sempre foi capaz de explicar seus paradigmas. O dia que se passa às vezes é pequeno demais para nossas vontades. Vontades que certas vezes ocorrem, porém passam a ser censuradas pela ausência do sol. Como agir, como batalhar contra si próprio, que não entende a necessidade de deixar o presente respirar? Respire presente, vou ser perspicaz, inquieto, competente, solene como Piza foi durante a sua carreira. Ou se aproximar de tanto. Com tudo, entender e aceitar a si próprio é o passaporte para dar ouvidos ao mistério. Que diante desse embate, o tempo me faça colecionar momentos felizes. Perdido: estive e se perder é fundamental para se encontrar mais evoluído. Que nesse novo ano a nossa generosidade seja regada diariamente. 
Anúncios