Os pensamentos ficam girando o tempo inteiro. Hoje só preciso desacreditar no espelho. Talvez desapareça no vento e acorde em outro instante, longe do tempo que hábito. Nó na imensidão das coisas é parar o momento. Preciso respirar e desacelerar a minha existência, fazer de segunda feira um domingo, fazer da semana um feriado com fim marcado. Comprar pipoca, mortadela, hambúrguer, sumir da vista, morrer instantes. Não tem haver com depressão, está com jeito de necessidade de ser coadjuvante do descanso. As palavras que saem da mente para a tela do computador são palavras definidas, remodeladas, companheiras desse instante. E nada é mais nada que esse instante, só é intervalo da existência. A tristeza não chegou, foi só silêncio batendo na porta, entrando pra dentro, observando, reparando as coisas no seu devido lugar. Não digo sempre, mas tem dias que é preciso parar de sonhar, a nossa mente merece dormir. Ficar branca como o silêncio, se renovar como o sol.
Anúncios