Eu sobrevivo as paisagens que passam
sobre mim dispenso o olhar
cego, Só existo
nas paredes e nos braços
estende-se
as horas que anulam
sobrevivo, mas não valido
a mente
sem pensar
o olho
sem notar
as paisagens solidões
são cenários
pra distâncias de mim mesmo
quinto dia útil
tiro o cartão
compro ilusão
consumo me embriaga
bêbado de sacolas de shopping
voltando
paisagens são despedidas pra chegar em casa
cego, continuo
feliz, por enquanto
amanhã, acordo cedo
esperando o vale
mais uma dose de consumo
por favor!

Anúncios