Não é de hoje que a nossa sociedade precisa deixar de lado o conservadorismo e discutir sobre a nossa relação com as drogas, independente da posição, é necessário debater o tema, para assim dar o primeiro passo. E, dessa forma, Quebrando Tabu, documentário dirigido por Fernando Andrade, se propõe realizar o exercício de discussão, elaborando um clima confortável para futuras reflexões.

A droga sempre foi um tema constante na minha vida, não por ser usuário, mas, por ter notado cedo a dualidade do discurso repressivo, a contrariedade exposta nas políticas e as enganosas propagandas contra o uso, que mais incentivam do que combatem. No Começo ficava sem entender o paradoxo sobre a questão, a inquietude no comportamento dos país em relação ao tema, claro que hoje, vejo e tenho a resposta que o comportamento não passava e passa de um reflexo deturpador que a mídia adota para incentivar o medo, a curiosidade, o lucro que a droga gera para milhões de pessoas.

Coisas que persistem atualmente e que ao meu ver não passam de meras ingenuidades, para não dizer outra coisa, basta se aproximar da verdadeira informação a respeito que terá a prova, ou seja, argumentos pifeis como uma vez usada a droga, viciado nela ou a droga é o caminho para a morte não podem mais ganhar espaço.

Desde que soube o que era droga, que tenho o cuidado de não colocá-la como a protagonista de um possível sofrimento humano, ela só é um objeto que potencializa a circunstância do individuo de acordo com sua história e espaço, sempre se atentando que cada caso segue sua particularidade.

Entretanto um tema desses ainda é tabu na sociedade na qual vivemos, em plena pós-modernidade, beirando a sucessivas evoluções eletrônicas que ocorrem diariamente e na era das redes sociais, isso ainda “quase” reina no Brasil. O assustador é ver o quanto desqualificado e pobre fica o debate nas mãos dos mais jovens, parece que entre eles existe uma herança epidêmica do conservadorismo repassado pelos pais.

Desse modo o documentário: Quebrando o Tabu, que acompanha o Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso numa serie de percursos que tem o intuito de encontrar políticas regulamentares e opiniões distintas de diferentes figuras mundiais sobre as drogas, em especial a maconha, tem como objetivo inserir a discussão nas classes brasileiras.

As opiniões passadas vão desde ex- usuários a usuários, passando por personalidades como os ex- presidentes americanos Jimmy Carter e Bill Clinton.
Como se pode notar, no nosso país não tão distante de uma posição progressista, mas que a contra partida também enfrenta uma série de retrocessos, precisa de mais documentários assim, que divulgam fatos e mais fatos que desmistifiquem a mitologia que beira o preconceito. Pra você que desconhece muitas questões a respeito das drogas e procura uma opinião mais embasada do que um simples blogueiro, assista o filme, tire suas dúvidas, quebre de vez o tabu.

Para interesse social, o ex presidente FHC participará em conjunto com a Comissão Especial de Políticas Públicas de Combate às Drogas para discutir sobre a questão. A data ainda é incerta.

Quem sabe, essa seja a gênese de um futuro eficaz, pelo menos no que diz respeito a esse problema, é que possamos olhar para trás e ver um distante e desinteressante status castrado de embasamento e seriedade.

Anúncios