Após uma nota publicada pela jornalista Monica Bergano na Folha de São Paulo na semana passada sobre o governo (Ministério da Cultura) ter disponibilizado uma quantia 1,3 milhões de reais para a cantora Maria Bethania criar um blog de poesias, muitas críticas ocorrem, de pessoas anônimas a pessoas ilustres (que detém o conhecimento publico). Contrapondo com a mesma moeda, os protestos dominaram as redes sociais, vídeo de louco ameaçando a cantora se caso aceita-se a quantia e campanhas feitas pelo cantor Lobão no Twitter promovendo também a devolução da grana.
Enfim, o que muitos não sabem que a história não é bem assim, o fato é que a distorção do ocorrido aconteceu, transformado a notícia numa manobra para elevação de cliques e comentários leigos. A verdadeira informação é que o Ministério da Cultura não entregou o dinheiro diretamente a cantora, porém deixou claro e a disposição a sua real intenção: beneficiar o seleto grupo empresarial, não cobrando o imposto de renda, caso os mesmos estejem a vontade de patrocinar o blog de Bethânia. O que não diminui o mau caratismo por trás da ação.
Calma-lá é só um blog! Pra que a empreitada de reverter o dinheiro do imposto diretamente para o blog?
Isso mesmo, um blog. Alguns defensores e ufanistas da musica popular brasileira poderiam argumentar dizendo que se trata da difusão da poesia para um povo necessitado de cultura, no entanto, já existem lugares competentes e atraentes que fornecem a divulgação e possui a entrada gratuita para toda população, independente da classe social: A Casa das Rosas é um exemplo, uma imensidão de cultura ali presente na avenida paulista, mas freqüentada pelos mesmos indivíduos. E, no final qual é o real problema da falta de interesse?
Eu tenho a possível resposta, na verdade a cultura no Brasil é vista como ELITISTA. Quem freqüenta os polos culturais como a Casa das Rosas intimidam qualquer aventureiro que queira arriscar sua entrada no local , mas como? Da forma mais crível do mundo: ou seja, se comportando como uma marionete que é: os freqüentadores ácidos são reflexos dos artistas que lêem, fazendo o sacrilégio de olhar torto a cada individuo que adentra no cenário e que seja diferente do padrão predominante do recinto. Um fenômeno que ocorre quando o ser humano enfrenta a infância, em outras palavras é o descobrimento de alguma coisa e o comportamento de provocar todas as artimanhas necessárias para a sua descoberta não sair do seu circulo de convívio, uma auto-apropriação de uma cultura que é publica. Quando alguém atravessa essa barreira é tida como monstro, modinha e demais adjetivos chulos.
Agora, imagino o seguinte: como um blog de poesia poderia fazer o contrário? Ou, o Ministério da Cultura é ingênuo o suficiente para ter a falsa ilusão de que Bethânia seria o Maomé dos novos tempos? Faria poesia para os pobres? Pelo amor de deus, não é? Claro, falar que o blog não encheria de cliques e acesso seria erronêo da mesma forma, mas tenho cá a minha certeza de que  os internautas presentes seriam aqueles que pagam  R$90 a mais – para ir ao show das celebridades da MPB, teria um acesso predominado pela elite. A questão é, porque o esforço, se o final já é previsível?
Sou fã do diretor Jorge Furtado, acompanho seu blog faz um tempo, entretanto, achei imbecilidade da parte dele escrever a favor desse ato errôneo. – no post, “A gritaria contra o blog de Maria Bethânia é uma mistura de ignorância, preconceito e mal caratismo” – ele comente um ato, que se fosse feito por um fã da banda Restart seria condenado, separei alguns trechos, aonde respondo a minha opinião, abaixo da linha dele.
“O fato é que a única coisa que os produtores do blog receberam do governo foi a autorização para se humilhar, pedindo a empresários, de porta em porta, que considerem a possibilidade de, ao invés de entregar parte de seus impostos ao governo, patrocinar, com a vantajosa exposição de suas marcas, um blog de uma extraordinária artista brasileira.
(UM BLOG NÃO PRECISA DE PATROCÍNIO, NO SENTIDO DE DISPONIBILIZAR UMA QUANTIA ABSURDA QUE DESTINÁRIA A SERVIÇOS PUBLICOS COMO ESSA, NEM SE FOSSE DO PAPA, UM BLOG É UMA VIA PUBLICA, ONDE QUALQUER UM PODE FAZER, QUER PATROCINAR, CRIE UMA CAMPANHA NO BLOG ATRAVÉS DO ADWORDS)
“Blog este que tem como objetivo divulgar a poesia.”
(VAMOS CAIR NA REAL: DIVULGAR POESIA. QUER CONHECER A POESIA, VÁ A CASAS DESTINADAS A ISSO, COMO A DAS ROSAS NA PAULISTA E DESCUBRA A POESIA, LÁ É ABERTO PRA TODOS)
“Na minha opinião, o governo brasileiro deveria tirar do seu caixa o dinheiro (1,3 milhões de reais, uma ninharia perto da roubalheira do Detran gaúcho, dos pedágios paulistas, da máfia do governo Roriz/Arruda no DF, etc, etc…) e entregar para a Maria Bethânia, junto com um buquê de rosas e um cartão, pedindo desculpas pela confusão.”
(PEDIDO DE DESCULPAS, POR QUÊ? MEU DEUS, ISSO É ODIOSO, COMPORTAMENTO DE UM FÃ CEGO, HISTÉRICO, NÃO VEJO DIFERENÇA ENTRE ELE E AS MENINAS QUE GRITAM NA FILA DO CINEMA PELO FILME Twilight – CREPÚSCULO)
“Chega a ser constrangedor ter que relembrar aos mais jovens que Maria Bethânia é uma das maiores artistas brasileiras de todos os tempos.”
(O QUE TEM ISSO HAVER? POR ELA TER SUA REPRESATIVIDADE NA HISTÓRIA, ELA ESTÁ INSETA DE CRÍTICA? DEIXA EU TE FALAR, ATÉ JESUS RECEBEU CRÍTICA , PORQUE A IRMASINHA DO VELOSO NÃO PODE SER CRITICADA?)
Para encerrar: Quer ler poesia? VisIte a periferia e veja a poesia estampada no rosto de cada trabalhador ali presente, sem metáfora para decorar a alegoria da palavra. E tudo seco! Pegue metrô, trem, busão – todos lotados e veja com seus próprios olhos o ato poetico do sujeito acordar de madrugada e ainda ter forças para ir trabalhar como um gado, apertado que só! Em vez de ler Bethânia com sua arte distante, leia Sérgio Vaz, Sacolinha, Ferrez (autênticos representantes da escrita humilde) se atente a literatura marginal (porque essa sim é a verdadeira arte que condiz com o linguajar do povo). Parem de idolatrar a morte e olhem pros vivos. Digite – “Blog de poesia no Google e veja o resultado da busca, clique por clique, terá a certeza que para tal feito não precisa de quantia alguma.
Maria Bethânia e Rita Lee também (triste fato dela ter falando besteira de Itaquera) perderam as vozes há tempos, são espelhos do passado glorioso. Hoje, não passam de molduras envelhecidas que não servem pra nada (so para relembrar do passado). Pegue o exemplo de Chico, João Gilberto e sumam, não acabem e desgastem a grandeza de suas obras!
Anúncios