Wall Street – o dinheiro nunca morre é o novo longa-metragem do diretor Oliver Stone, um dos nomes fortes do cinema autoral americano.
O projeto novo de Stone trata-se de uma continuação de Wall Street- O Poder e Cobiça rodado em 1987.
Nesse novo filme, á historia, ocorre em 2001, quando o ambicioso Gordon Gekko (Michael Douglas) sai da prisão.  Sem recursos pra voltar ao mercado financeiro, começa palestrar em universidades sobre o tema, no qual elabora criticas sobre o comportamento de risco do mercado e dos seus investidores.
Em uma palestra, conhece Jacob Moore (Shia Labeouf), um jovem operador (corretor) de Wall Street, além de namorado de sua filha, Winnie (Carey Mulligan), que não conversa há anos.
Partindo para uma relação muito parecida com a do mercado financeiro, ambos fazem um acordo durante esse encontro. Jacob promete aproximar o pai novamente da filha, em contra partida, Gekko dará conselhos ao garoto sobre Bretton James (Josh Brolin). Um investidor e presidente de um banco americano que destruiu a vida do seu mentor, Lewis Zabel (Frank Langella), (presidente de outro banco), por conta de uma especulação realizada pelo próprio James, que o obrigou a vender o banco que presidia.
Mas, nada é o que parece quando a narrativa é aplicada na tela, os acontecimentos vão além e sobressaem diante de algumas convenções que aparentemente indicam outro caminho.
Oliver brinca de ser um investidor de Wall Street, projeta na tela a sua versão do mundo dominante, brinca, aparece em duas cenas e crítica. A todo vapor, cena a cena, um ringue de diálogos, as idéias nunca são jogadas em vão, cada olhar apresenta um sentimento, cada mensagem cheira poder, todos os elementos do jogo.
O que é bem explicado numa cena, na qual Gekko em determinado momento, fala para Jacob, que o mundo da bolsa de valores (do investimento) não se trata de dinheiro, é sim de um eterno Game (jogo).
É Wall Street é um jogo de tabuleiro, lá a especulação é uma peça valiosa, um coringa nas mãos de cada investidor, as peças são mudadas constantemente. A oferta e a demanda, sempre motivam os sentimentos da sociedade capitalista.
Por meio delas, nos deparamos com o pior lado do ser humano (a ambição).
A direção de Stone é muito boa, uma cena completa a outra, nada é passado por acaso, um jogo de analogias, que aplicadas ganham muito sentido na trama.
Lógico, só pode ser dica de filme para quem gosta desse mundo financeiro.

Titulo Original: Money Never Sleeps
Ano: 2010
Diretor: Oliver Stone
Roteiro: Allan Loeb (Baseado em personagem criados por Oliver Stone e Stanley Weisser)
Duração: 127 min.
Elenco: Michael Douglas, Susan Sarandon, Shia Labeoulf, Charlie Sheen, Frank Langella, Carey Mulligan e Josh Brolin.

Anúncios