É mais um ano a Rede Globo espera o Big Brother Brasil terminar para iniciar a transmissão do Oscar na metade da premiação. Uma falta de respeito ao público interessado pela festa. Algo que poderia ter sido evitado caso tivesse um planejamento na programação da grade, porém, extremamente utópico, perante a realidade pela busca da audiência.

Não é interessante o BBB acabar cedo no domingo, onde a família brasileira espera ver intrigas dentro daquela casa e dormir satisfeito, tendo o que conversar na semana seguinte de trabalho. Portanto, os vencedores das categorias de ator coadjuvante, animação, canção, roteiro original, curta metragem de animação, documentário em curta metragem, maquiagem, roteiro adaptado e atriz coadjuvante, não foram televisionados, por motivos compreensíveis, claro.

A 82º edição do Oscar começou para muitos brasileiros, na categoria de direção de arte, na qual Avatar ganhou.

A cerimônia girou nas escolhas previsíveis, nas quais os jornais já apontavam anteriormente como favoritos. A academia surpreendeu somente na categoria de filme estrangeiro, premiando o segredo dos seus olhos, do argentino Juan Jose Campanella.

Steve Martin e Alec Baldwin foram divertidíssimos apresentando a festa, o melhor momento da dupla foi quando satirizaram o terror Atividade Paranormal.

Numa breve homenagem ao gênero de terror, crepúsculo conseguiu a façanha de figurar no meio de clássicos, como Nosferatu, À hora do pesadelo e Drácula. Nitidamente uma brincadeira de mau gosto.

O discurso mais legal ficou a cargo de Michael Giacchino, vencedor e autor da trilha sonora de Up, pedindo para garotos criativos buscarem seus sonhos.

A novidade foi à homenagem aos indicados a melhor ator e atriz, por meio dos companheiros de trabalho ou atores amigos de longa data. Jeff Bridges levou a estatueta de melhor ator por sua interpretação em coração louco e Sandra Bullock levou de melhor atriz por sua interpretação em um sonho possível.

Guerra ao terror recebeu seis prêmios e foi o maior ganhador da noite, incluído melhor filme e diretora para Kathryn Bigelow, primeira mulher a ganhar. Desbancando James Cameron de avatar, que ficou com três premiações.

A academia ainda é conservadora, os vencedores acabam sendo escolhidos por critérios duvidosos, favorecendo os interesses da indústria hollywoodiana. Queria que Bastardos Inglórios fosse o vencedor da noite, o que não foi possível. Será que um dia algum filme de Tarantino ganhe o Oscar de melhor prodcução do ano?

Anúncios