(imagem creditada ao site adoro cinema)

O segredo dos seus olhos estreou em circuito nacional na ultima sexta feira, dirigido pelo argentino Juan Jose Campanella. Um nome um pouco desconhecido pelos cinéfilos de plantão, o diretor estréia o seu quarto trabalho e consegue alavancar uma indicação ao Oscar 2010 na categoria de filme estrangeiro. Particularmente descobri o seu trabalho recentemente, sem conhecê-lo direito assisti o seu primeiro trabalho o mesmo amor, a mesma chuva, um drama romântico que aborda o idealismo de um jornalista e um romance distante. Iniciando a parceria do ator Ricardo Darín e da atriz Soledad Villamil que se repete nesta nova obra.

A narrativa intercala entre dois períodos, o estado presente do personagem vivido por Darín, um oficial de justiça aposentado pretendendo lançar um livro sobre uma antiga investigação que marcou a sua vida e o passado onde é desenvolvimento passo a passo esta investigação, na qual conta com a ajuda de seu amigo de trabalho e sua chefe que tornaria sua paixão.

Numa atuação brilhante, Guillermo Francella, o amigo do protagonista, se torna o melhor personagem da historia, com diálogos geniais, como na sua fala ao atender ao telefone, “banco de espermas no que posso ser útil?”. Sua participação rouba a cena, uma indicação ao Oscar de ator coadjuvante não seria nenhuma loucura. Outro momento de destaque na trama é mostrado nos minutos finais quando uma ação do protagonista mostrada no inicio tem relação direta com uma maquina de escrever na qual usava no trabalho e que não funcionava a letra A.

A duração é extensa, em determinados momentos o cansaço e notório. As cenas transcorrem em vários gêneros, nas ocasiões mais tensas a comedia aparece pra quebrar o gelo, quase sempre ineficiente. Sem o carisma apresentado pelo protagonista o romance se torna superficial.

Bem intencionado Campanella tentar colher num mesmo espaço diversos ingredientes, porém não funciona e acaba perdendo a direção do roteiro. O erro fatal foi não ter se posicionado.

Anúncios